Possuir uma estratégia de diversidade e inclusão sólida (D&I) é benéfico para qualquer  empresa, gerando potencial para conseguir novo talento, com novas perspetivas, origens e experiências e aumentando a capacidade da empresa produzir – e inovar.   

A nossa pesquisa demonstra  que gerações mais jovens preferem trabalhar em empresas que apoiem a diversidade.

Diversidade – um incentivo à produtividade

As empresas que recrutam e encorajam uma maior diversidade de perfis na força laboral criam uma reputação de bom empregador. Aceitar e encorajar a diversidade no local de trabalho demonstra os seus princípios de não-discriminação, promovendo-os juntamente das suas equipas.

Quando os colaboradores se respeitam e cooperam no local de trabalho, há um aumento da produtividade, da disposição, e uma melhoria das relações com clientes.

Ao aceitar a diversidade, a empresa encoraja a empatia, o que tem uma grande importância na resolução de problemas no local de trabalho (e noutros locais).

Por estes motivos, no PageGroup, dedicamo-nos à diversidade e à inclusão – o nosso programa OpenPage foca-se na filosofia: “A idade é apenas um número; As incapacidades não o detém; A orientação sexual não é importante; As famílias e portadores de cuidados estão em primeiro lugar; Uma força de trabalho multicultural prospera; As mulheres são bem-sucedidas no trabalho”.  

Implementar a inclusão

Os nossos clientes procuram que as empresas de recrutamento com que trabalham contribuam para os seus planos de diversidade – no PageGroup, estamos plenamente comprometidos a atingir este objectivo. Como empresa multicultural, pretendemos ser um exemplo, demostrando como levamos uma força de trabalho diversificada na direção de uma maior produtividade, que traga valor acrescentado para os planos de diversidade do cliente.  

É essencial para o sucesso da nossa empresa que acrescentemos valor aos mercados para os quais recrutamos. Somos líderes no sector do recrutamento pela promoção da diversidade e inclusão, e trabalhamos perto dos nossos clientes para assegurar que o recrutamento de talento é totalmente diversificado.

Isto permite-nos apoiar as estratégias de diversidade do cliente e apresentar os candidatos indicados para as funções.

Portugal, no caminho para a inclusão  

De acordo com o último censo, realizado em 2011, em Portugal vivem cerca de um milhão de pessoas com algum tipo de deficiência ou incapacidade. Felizmente, no período de 2011 a 2016, o número de profissionais com deficiência ou incapacidade que encontrou um emprego duplicou (+138%) – mas o desemprego a longo-prazo aumentou para 60%.

Para contrariar esta situação, em 2015 o governo introduziu cursos de formação profissional para auxiliar a integração, compensando o trabalhador e o empregador com os ajustes necessários no local de trabalho. As medidas adicionais do governo focam-se nos benefícios sociais e na vida independente, tendo como objetivo a valorização dos indivíduos, em oposição à institucionalização.

A educação é verdadeiramente inclusiva em Portugal, com um rácio de participação de 99% de alunos com deficiência ou incapacidade e 86% a receber a educação regular. No entanto, continuam a existir problemas no sistema, com certos serviços de apoio a desaparecerem devido a cortes de orçamentos, em conjunto com a desigualdade de género – a probabilidade de estar inserido no sistema escolar é mais reduzidos para as alunas do sexo feminino com deficiência ou incapacidade.

Áreas de melhoria

Esta desigualdade de género continua presente após os estudos, com uma taxa de desemprego de 37.2% de mulheres com deficiência ou incapacidade, comparativamente a uma taxa de apenas 20% para os homens – de um total de 26,7% para todo o grupo de profissionais com deficiência ou incapacidade.

Algo também problemático é o sistema de acesso aos benefícios sociais. Para os receberem, os indivíduos devem provar uma percentagem de deficiência ou incapacidade de pelo menos 60%.  Esta classificação é feita através da utilização de uma lista controversa de incapacidades físicas, que é vista como sendo discriminatória para os indivíduos com incapacidades mentais.  

A Michael Page está ativamente envolvida em promover a inclusão de profissionais com deficiência ou incapacidade. Se pretende receber mais informações sobre como recrutar profissionais com deficiência, contacte-nos.

Se é um candidato, por favor envie-nos o seu CV, clicando aqui. Os CVs submetidos através deste formulário não serão considerados.

Confie-nos o seu recrutamento

Mantenha-se atualizado
Para que possamos ajudá-lo a construir uma carreira sólida, sugerimos que receba uma atualização semanal gratuita do novo conteúdo no seu e-mail.