A pesquisa de emprego é um processo que requer persistência e um plano estratégico. Este deve incluir uma fase de reflexão para analisar o ponto de partida e compreender os nossos objetivos, até à pesquisa ativa de oportunidades e contacto com as empresas que são do nosso interesse.

O que acontece quando não existe a possibilidade de estabelecer um contacto físico com a rede de contactos ou com as empresas? Neste novo ambiente laboral, em que o teletrabalho tem cada vez mais preponderância, existem, contudo, alternativas para que a distância não seja um impedimento à mudança profissional.

Primeiro passo: conheça-se

Antes de começar este processo, é necessário realizar uma autoavaliação que lhe permita descobrir os seus pontos fortes mediante uma reflexão das principais conquistas do seu percurso profissional.

Para evitar uma perspetiva tendenciosa, é recomendável avaliar o feedback que tem recebido ao logo do seu percurso, seja do seu chefe, colegas ou clientes. Se juntar esta informação à sua avaliação, será possível ter uma perspetiva clara dos seus pontos fortes e das suas áreas de melhoria.

Trabalhe na sua marca pessoal: sobre o que falamos e em que meio?

Escolher os temas sobre os quais nos vamos pronunciar ou partilhar é um aspeto fundamental nesta etapa. Primeiro, deve refletir sobre a quem é que se vai dirigir e quais são os seus interesses. Devemos focar-nos nas temáticas que nos definem tanto a nível profissional como pessoal e decidir em cada caso a forma como as vamos abordar, com uma perspetiva mais técnica ou informativa.

Tendo a mensagem, deve escolher o meio. Atualmente, graças à tecnologia, temos ao nosso alcance várias opções para chegar aos nossos públicos. As redes profissionais como o LinkedIn são uma ferramenta útil para ganhar visibilidade, mas existem outros meios, como fóruns com conteúdos específicos de um sector, websites de empresas e consultores de recrutamento. Não podemos duvidar da nossa rede de contactos, que também deve ser cuidada mesmo à distância.

Forma de contacto: entrevistas à distância

Se ambas as partes estão interessadas, o seguinte passo é agendar uma entrevista. Qualquer ferramenta de reuniões virtuais, como o Skype, Zoom ou Teams, permite uma interação mais completa devido ao vídeo, e um tom mais pessoal na reunião.

Como em qualquer entrevista, é importante cuidar da nossa imagem e, neste caso, também da nossa casa. Deve estar atento ao ambiente que o rodeia, visto que irá contribuir para completar a imagem que o recrutador recebe de si. Por último, deve verificar antecipadamente se consegue ligar-se sem problemas, para evitar surpresas desagradáveis de última hora.

Relativamente ao conteúdo, não espere que seja muito diferente daquele que é abordado nas entrevistas presenciais. Prepare-se com antecedência, focando-se nas experiências profissionais mais relacionadas com a função que permitam demonstrar que se adequa a esta. É também fundamental transmitir entusiasmo, confiança e uma atitude positiva, visto que é um dos aspetos que pode ser mais afetado pela tecnologia.

Apesar do que possa parecer, a distância já não é um obstáculo para um novo rumo profissional. Uma boa planificação e as ferramentas tecnológicas podem aproximar-nos mais do que nunca da carreira profissional dos nossos sonhos.

Procura um novo passo profissional? Descubras as nossas oportunidades mais recentes

Raquel Cortez, Senior Consultant Michael Page

Publicado a 08/06/2020